Uma resposta a Ronaldo Tiradentes

Escrito por Bianca Abinader.

Essa será a primeira e última vez que lhe escrevo, até porque só o fato de ter que digitar o seu nome me dá nojo.

Senhor Ronaldo Tiradentes, não adianta fingir que não aconteceu. Eu derrubei todas as falsas acusações que o senhor vem me imputando há quase dois anos, desde a minha última gravidez. Tudo por ter liderado o Movimento Manaus de Olho, cujo objetivo era denunciar ilegalidades e atos duvidosos de alguns dos seus compadres políticos. E o senhor, burro do jeito que é, veio me perseguir e caluniar em meu ambiente de trabalho uma semana depois do movimento ter sido criado. Minha idoneidade e compromisso profissional foram provados não por mim, mas por meu empregador, a Prefeitura Municipal de Manaus. Nem a sua relação com o prefeito e com alguns secretários dele conseguiu provar que o senhor faz jornalismo. Durma com esse barulho, senhor Ronaldo!

Depois, no desespero, pressionou a Prefeitura a tal ponto que abriram um Processo Administrativo por “críticas depreciativas ao prefeito”, não comprovadas. Numa decisão totalmente arbitrária, a Prefeitura que atestou em documento oficial que eu era ótima funcionária me suspendeu por 90 dias de meu trabalho. Decisão que, segundo o próprio juiz, tem “indícios de ilegalidade” e este mesmo deferiu uma liminar a meu favor, ordenando minha reintegração IMEDIATA. Durma com esse barulho, senhor Ronaldo!

Estou escrevendo aqui porque sei que o senhor, apesar de um pária na internet, tem infiltrados no meu perfil do Facebook, no meu perfil do Twitter e, ao que parece, vive em função de mim. Pergunto-lhe: só o senhor não percebeu que já passou do ridículo? A sua situação é extremamente desconfortável, patética, humilhante diante de todos em Manaus (e agora, graças à sua doença, diante de muita gente boa fora do Amazonas).

É preciso ser muito mal informado, mal intencionado ou ignorante para acreditar em alguém como o senhor, um sujeito com mais de 40 processos no TJ-AM, que já teve o nome envolvido em acusações de compra de diploma, pedofilia e todo um monte de obscuridades. Pra ser bem franca, é preciso ser muito burro mesmo, como o senhor, pra lhe dar algum crédito. Nem os mais incautos, aqueles que ainda desconheciam sua má reputação e acreditaram nas suas mentiras no início de 2010, estão mais com o senhor.

É por isso que o senhor precisa, pessoalmente, inventar 15 apelidos diferentes no seu blog e se fazer passar por leitores para fazer volume à sua farsa. Ou o senhor realmente acredita que ninguém vê o que o senhor faz? Já lhe pegaram, senhor Ronaldo! Durma com esse barulho!

Agora o senhor me acusa de ter fraudado um concurso público. O senhor me acusou de ser funcionária fantasma, depois de atender mal meus pacientes, sem perceber que uma acusação desmonta a outra. Então o senhor me acusou de usar o computador durante o trabalho. Depois inventou a existência de denúncias da população contra mim. Senhor Ronaldo, são quase dois anos, e o senhor não foi capaz de mostrar um único paciente, com nome e rosto, que provasse sua fraude. Sua farsa foi descoberta quando apareceu o relatório da sindicância que o senhor mesmo encomendou à Prefeitura. O senhor tem noção da falta de vergonha na cara que é esconder um relatório que o senhor tanto cobrou? Como pode a CBN sonegar de seus ouvintes o desfecho de uma de suas “reportagens” mais bombásticas? Em vez disso, o senhor foi pressionar o secretário de saúde e dois juízes para me prejudicarem. Por incrível que pareça, conseguiu outras sindicâncias contra mim. Nenhuma prosperou, porque a Prefeitura não podia oficializar a sua fraude forjando documentos para lhe favorecer. Quero continuar achando que a Prefeitura é incapaz de fazer isso!

Derrotado, o senhor inventou um documento e o levou aos seus amigos na Prefeitura. No documento, uma impressão retirada do seu próprio blog, eu criticava autoridades. Novamente a seu mando, a Prefeitura investigou durante quase cinco meses, e não achou NENHUMA prova contra mim. Mesmo assim, pra lhe satisfazer, me suspendeu por 90 dias.

Mas o senhor perdeu novamente. A justiça encontrou o indícios óbvios de ilegalidade na minha suspensão. Depois da sua campanha pessoal para me prejudicar, hoje o senhor precisa engolir o fato de eu estar de volta ao meu trabalho, por ordem de um juiz que lhe expôs ao ridículo em praça pública.

Mas nem assim o senhor se mancou. Persistiu no ridículo. Hoje o senhor me acusa de ter fraudado um concurso público, com a ajuda do prefeito da cidade, e de ser mentirosa compulsiva.

A tua cara não treme, não, Ronaldo? Na sua idade, agindo desse jeito! Não lhe incomodam os olhares de desprezo? Não lhe fere o orgulho saber que falam tão mal do senhor por aí? Não lhe dá vergonha como homem, diante da sua mulher, que ela saiba o que a sociedade pensa do senhor? Não lhe aflige imaginar o que seus filhos vão ler na internet sobre o senhor no futuro? O que eles vão descobrir nos arquivos dos jornais, da Polícia Federal, em diversos sites e blogs por aí? Como o senhor vai lhes explicar o que faz da vida?

Por ter estudado, eu sei o que é Projeção Freudiana, um distúrbio mental que faz com que o paciente transfira para terceiros seus próprios pensamentos indesejáveis ou defeitos de personalidade. O senhor atribui aos outros defeitos de caráter que são seus. Acusa outros de falsários da internet, enquanto o senhor mantém perfis falsos ali, de onde agride e ameaça quem lhe contesta com toda a sorte de baixarias. Me chama de agressiva, enquanto conta aos seus leitores (no site oficial da CBN) que deu um “corretivo” num leitor que lhe criticou. Denuncia quem critica autoridades, enquanto chama o ex-governador Eduardo Braga de corrupto e diz que o Manaustrans é um caça-níquel, só porque tomou uma multa de trânsito. O senhor fala de contratos suspeitos do governo estadual, mas sua família e sua rádio mantêm contratos milionários com a Prefeitura.

O senhor e o blogueiro Raimundo Holanda fazem dobradinha, me acusam de ser mentirosa, mas em 2008 ele lhe acusou de tê-lo ameaçado de morte. Em troca, o senhor pediu a prisão dele, e disse que ele já estava morto. Ele contou à polícia que havia testemunhas da ameaça. Vocês dois trocaram acusações públicas, um chamando o outro de desqualificado. O senhor o chamava de “rato de esgoto”, porque seu acervo de xingamentos é limitado à sua escolaridade, e ele o acusava de ser uma piada como advogado. A história de vocês estava contada até segunda passada (dia 21) no próprio blog dele. Como eu sabia que, desmascarando vocês, ele ia deletar tudo, salvei uma cópia pra mim. E não é que ele apagou mesmo? Vocês têm mais é que que se manterem unidos mesmo, mesmíssimo nível de “jornalismo”. Vocês são éticos para as negas de vocês! Se conhecem muito bem, pelas acusações certeiras que trocaram.

Depois de saber da sua nova projeção freudiana, decidi me apresentar da maneira correta. Achei que era a hora de lhe explicar por que o senhor está passando essa vergonha nacional e porque está perdendo a cabeça por causa de uma simples cidadã comum.

Preste atenção ao que eu vou lhe contar sobre mim: eu estudei muito, a minha vida inteira, sendo aprovada com louvor em todos os colégios por onde passei. E eu estudei nos melhores de Manaus, com o sacrifício dos meus pais. Já o senhor foi acusado de comprar o diploma de Ensino Médio de uma escola pública. Depois da acusação em rede nacional, precisou fazer em segredo um curso supletivo às pressas, no interior do Amazonas e na escuridão da noite, sob a vigilância da Polícia Federal.

Aos 17 anos passei, na primeira tentativa, numa Universidade Federal e pro curso mais concorrido, que é Medicina. E mesmo com todas as dificuldades que o curso apresenta, nunca reprovei ou repeti nenhuma, repetindo, NENHUMA disciplina. O que o senhor fazia aos 17 anos de idade, senhor Ronaldo? Em quantos vestibulares a sua mãe teve a felicidade de ver seu nome na lista de aprovados? Eu não sabia, mas os mais velhos sabem o que aconteceu: Para entrar na mesma universidade pública em que eu entrei por mérito, o senhor foi acusado de apresentar um diploma falso. Como resultado, precisou pagar uma instituição particular, onde o senhor já admitiu que não aparecia muito para estudar.

Não podia dar coisa boa, eu já vi o senhor quase tomando cascudo de um juiz pela sua incompetência como advogado. Na decisão que ordenou minha reintegração, outra vergonha. O senhor queria se declarar amigo da Corte, o que só acontece em matérias constitucionais. No meu lugar e com as horas de banco de escola que tem, o senhor já teria receitado anticoncepcional para homens e exame de próstata para meninas. Enquanto isso, eu era reconhecida pelo meu trabalho, não apenas pela Prefeitura, mas por quem mais interessa: meus pacientes. Durma com isso, senhor Ronaldo.

Ainda durante a faculdade, fiz o concurso para a Secretária Municipal de Saúde. Veja bem, ainda faltava mais de um ano pra me formar. Apesar do que dizem do senhor, acredito que o senhor sabe ler. Se eu estiver certa, deve ter lido o quinto requisito (letra “e”) do item 5 (“Requisitos para posse”) do edital do concurso. Eu vou transcrever letra por letra, pro senhor soletrar: “e) ter concluído, até a data da posse, o(s) curso(s) exigido(s) para o cargo a que se candidatou”. Nem que eu quisesse, poderia ficar entre os primeiros lugares, pois precisaria estar formada para assumir meu cargo. Fui aprovada por mérito, senhor Ronaldo. Tem gente que não conhece a sensação de ver o mar, e tem gente que não conhece a sensação de ser aprovado por mérito, como o senhor. Nunca precisei depender de indicação ou cargo de “confiança”, como vários membros de sua família na gestão do prefeito atual.

E quanto a me acusar de fraudar frequência: o senhor tem noção da gravidade do que me acusa? Deixa eu lhe explicar, senhor Ronaldo: não sou da sua laia! Nunca cometi irregularidades, não subi na vida puxando saco, enganando nem bajulando ninguém. Estudei, trabalhei e me dediquei, coisas nas quais o senhor parece não ter a menor experiência!

Fui chamada pelo concurso da SEMSA em Junho de 2006, já graduada, assumindo o cargo de imediato como médica generalista na UBS Sálvio Belota, Zona Norte de Manaus. Tinha dois plantões por semana, cada um de 12 horas, que completavam 24 horas no final (e eu recebia por 20). Olha que coisa: ao invés de ganhar dinheiro público sem trabalhar, como o senhor me acusa me igualando aos seus, eu trabalhava A MAIS do que recebia. E estava grávida de minha primeira filha!

Entrei de licença maternidade em novembro de 2006, voltando para o meu cargo em março de 2007, quando pedi para entrar no programa Médico da Família na UBSN-17, no Campo Dourado. E ao contrário do que o senhor me acusa, minha aprovação pela população de lá, pelos meus serviços prestados em quase quatro anos, foi de 99% da população, REPETINDO: 99%. Como está oficializado nesta Sindicância que o senhor mesmo cobrou, mas nunca divulgou: https://ocasobiancabinader.wordpress.com/a-sindicancia-janeiro-de-2010/

Durma com esse barulho, Ronaldo. Aliás, nesse site, estão TODOS os documentos que comprovam as suas mentiras. Não tenho nada a esconder, mas pelo visto o senhor tem muito, já que nunca divulga nada disso. Pelo contrário, seguiu me caluniando, perseguindo, ameaçando, difamando, esperneando em toda uma sorte de golpes sujos e abuso de poder que o senhor construiu com sua “influência”. Nem minhas filhas, de um e quatro anos, foram poupadas da sua sujeira. E tudo isso com a CBN Nacional fazendo vista grossa, sabe-se lá até que ponto.

O mais novo absurdo foi ter me acusado de ter fraudado concurso, pois minha colocação foi além do número de vagas proposto inicialmente. Bom, agora vou lhe dar uma aulinha sobre concursos, porque eles medem mérito educacional, coisa alheia ao senhor: existem os aprovados, que tiveram aproveitamento acima de 50% da prova. Destes, há os classificados, aqueles cuja colocação ficou dentro das vagas inicialmente informadas no edital. É matemática de ensino básico, senhor Ronaldo! A não ser que também lhe acusem do contrário, esse você fez! Vou colar os itens do próprio edital aqui, pro senhor. Leia pausadamente, se possível em voz alta:

8.1.2 – Após a 1ª Etapa, os candidatos serão classificados por cargo, em função do total de pontos obtidos, sendo eliminado o candidato que obtiver aproveitamento inferior a 50%(cinqüenta por cento) do total de pontos das Provas Objetivas. Será, ainda, eliminado o candidato que obtiver zero em qualquer das Provas Objetivas. Havendo empate na totalização, prevalecerá o maior número de pontos na Prova de Conhecimentos Específicos. Persistindo o empate, preponderará o maior número de acertos nas questões de maior valor, sucessivamente, em Conhecimentos Específicos e em Língua Portuguesa III. Mantido o empate, terá preferência o candidato mais idoso.

8.1.3 – Após a 1ª Etapa, serão considerados habilitados para a 2ª Etapa os mais bem classificados até o dobro das quantidades de vagas definidas no item 2. Os demais candidatos não eliminados poderão ser convocados para as demais Etapas deste Concurso Público, quando de conveniência da SEMAD, observada rigorosamente a ordem de classificação e o prazo de validade do certame.

Todos perceberam que o senhor é covarde o suficiente pra atacar mulheres, preferencialmente em seu estado mais delicado, que é a gravidez. Foi assim que o senhor me atacou pela primeira vez, grávida de oito meses. E foi assim que o senhor me ameaçou de morte também, grávida de oito meses, ameaçando também a vida de uma criança inocente que eu carregava comigo.

Entenda o que me torna tão diferente do senhor, de uma vez por todas. Eu estudei, o senhor não. Eu tenho um trabalho de verdade, o senhor não. Meus pacientes no Campo Dourado e no Morro da Liberdade fizeram abaixo-assinados pedindo a minha volta. Os governantes que o senhor incomoda lhe detestam, e isso eu já ouvi da boca de alguns deles. Eu trabalho de dia e de noite, e mesmo tão ausente, tenho o amor e a admiração das minhas filhas. O senhor passa uma hora por dia no rádio, resolvendo seus problemas pessoais, e chama isso de trabalho. Eu não tenho título de cidadã de Manaus, e ando de cabeça erguida por onde eu quiser, considerada uma mulher de fibra por ter lhe enfrentado. O senhor tem título de cidadão de Manaus, outorgado sem o consentimento da sociedade por políticos que lhe odeiam, e por isso precisa de seguranças e carros blindados para andar por aí. Eu, uma simples cidadã comum, sou apenas uma das milhares de pessoas que diariamente contribuem para o bem dos outros nessa cidade. O senhor é um homem doente que achou em Manaus o solo fértil para enriquecer sem explicação, mesmo sem saber a diferença entre justiça comum e justiça especial (o senhor lembra, esse foi outro dos episódios em que o senhor precisou ser repreendido por um juiz durante uma audiência, na minha frente).

Conte a verdade para a sua mulher, uma coitada que nas redes sociais critica quem usa identidades falsas para cometer crimes. Conte a verdade para a sua mãe, no nome de quem o senhor colocou todos os bens que tem. Conte a verdade para os seus ouvintes, diga que essa história de defender crianças subnutridas de médicas faltosas é mentira. Diga que o seu problema comigo foi que eu lhe venci, que o senhor foi humilhado publicamente na internet, onde não suportou ter que responder sobre a farsa de jornalismo que faz. Explique à rede CBN e a pessoas de todo o país por que não deu publicidade ao relatório da sindicância que o senhor causou. Diga sem meias palavras, senhor Ronaldo, que foi desonesto enganar seus ouvintes e esconder a verdade deles.

Conte que enquanto todos os repórteres de jornais, TV, rádios e portais mantêm contas nas redes sociais, o senhor hoje é obrigado a ter uma conta falsa, como tantos outros desocupados que hoje vemos na internet, matando seu enorme tempo livre com o que não presta. Conte que na internet e na imprensa de fora, onde reina a liberdade e onde impera o argumento, o senhor virou pó em poucas horas. Conte a eles que, diferente de mim, o senhor, dono da marca CBN local, se arrasta às margens da sociedade, sem nome, sem rosto, sem leitores, sem seguidores e sem importância. Conte para a sua esposa o que o senhor espalhou sobre ela pela cidade, dizendo que sua perseguição a mim era ordem dela, que teria ciúmes de suas obsessão doentia por mim, fora outras mentiras tão inescrupulosas que eu não tenho nem coragem de repetir. Algumas delas me foram contadas por diretores do CRM Amazonas, indignados.

É isso, senhor Ronaldo Tiradentes, o que nos torna tão diferentes. E é por isso que o senhor me odeia tanto. Porque diferente do seu mundo de mentira, onde ninguém presta e onde só se vence puxando saco e prejudicando os outros, existe um mundo normal, de gente normal, de gente honesta, estudiosa, trabalhadora. O senhor tenta me destruir há dois anos, e não consegue. Podia estar se dedicando aos seus muitos filhos, que tanto precisam de atenção, exemplo paterno, noções de civilidade e moral, mas prefere atacar crianças inocentes, filhos de gente de bem.

Aí pro senhor, que se irrita com qualquer pessoa que lhe repreende sobre essa farsa que o senhor montou contra mim, que ofende e xinga qualquer leitor seu que lhe questiona e que diz que as milhares de pessoas no Brasil inteiro que descobrem a farsa e passam a divulgar a verdade são meia-dúzia de “imbecis” eu lhe digo: são pessoas normais apenas. Acredite, senhor Ronaldo, existe este mundo que lhe falei, em que as pessoas são apenas decentes sem esperar nada em troca além da sua própria paz. Neste mundo os iguais, os decentes, se identificam e se ajudam, e se percebem que um dos seus está sendo injustiçado, eles vão ajudar, vão se por em seu lugar, mesmo que aquilo não lhe traga nenhum benefício, pelo simples fato de estar fazendo o certo. Neste mundo ninguém passa a perna em ninguém, ninguém faz chantagem, ninguém ganha dinheiro sem trabalhar, ninguém mente sobre outro só pra prejudicar. Difícil imaginar esse mundo? É compreensível, depois de tanto tempo fora dele é normal que se esqueça que ele existe.

Não vou pedir pro senhor parar, sei que o senhor é incapaz de saber o que é o limite do bom senso. Continue: mostre aos poucos que ainda acreditam em suas mentiras quem o senhor realmente é.

O mal por si se quebra e o senhor está conseguindo isso com louvor!

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

5 respostas para Uma resposta a Ronaldo Tiradentes

  1. Hugo disse:

    Caraca meu! Como eu queria estar em Manaus pra ouvir a choradeira do cramulhão na CBN 😛

  2. Renato disse:

    Dra. Bianca, parabéns pela coragem de enfrentar esse ser, mas sugiro novamente que busque agora a vitória no campo jurídico, como já está conseguindo. É preciso que os textos que ele escreveu sobre você estejam presentes no processo que vc está movendo contra ele. Acho que também seria preciso que você pedisse segurança policial, já que no mesmo texto em que ele te ofende de todas as formas ele diz que deu um “corretivo” em um sujeito. Pelo menos para mim a ameaça está mais do que configurada. Na área de credibilidade, você JÁ VENCEU, nenhuma pessoa que conheça essa história está do lado dele. Mas como ele parece ser uma pessoa de grande influência no poder de Manaus, é preciso se precaver. Abraços

  3. Renato disse:

    Em tempo: gargalhei de rir quando ele comparou um edital de concurso com uma licitação de uma ponte. Foi quase do nível do “amigo da Corte”!

  4. JULIA disse:

    Parabéns pela coragem, Bianca! Eu a invejo, no bom sentido, claro. Mas tome cuidado! Acho que vc deveria pedir segurança policial para vc e sua família…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s