Ronaldo enganou seus ouvintes novamente – Médico caçado pela CBN tem processos contra a família Tiradentes

Depois de dois anos perseguindo ferozmente Bianca Abinader, Ronaldo Tiradentes encontra seu segundo médico-alvo: Raimundo Dantas dos Santos, que já conseguiu na Justiça penhorar bens da família Tiradentes.

Há cerca de três meses, após comprovada a fraude que montou contra Bianca Abinader, o radialista Ronaldo Tiradentes começou a reinventar a própria mentira, a de que a CBN Manaus fazia uma série de reportagens sobre a saúde municipal. Cobrado pela direção nacional da emissora sobre sua obsessão contra Bianca, Ronaldo ordenou que Andréa Vieira, metade repórter sua e metade funcionária pública, passasse a seguir outros médicos da capital amazonense. O site O Caso Bianca Abinader já mostrou (clique aqui) que Andréa é funcionária da Prefeitura de Manaus, mas durante o horário de expediente, trabalha na verdade na rádio CBN Manaus.

Ao procurar outros médicos da rede pública, a jogada da CBN Manaus era, novamente, enganar os ouvintes. Como fez em janeiro de 2010, Ronaldo Tiradentes jurava no ar que várias unidades de saúde de Manaus seriam visitadas, e que o cunho das matérias era puramente social. Com essa mentira o radialista disse que escolheu a médica Bianca, exatamente uma semana depois dela liderar o protesto Manaus de Olho (clique aqui), por mero acaso. Segundo Ronaldo, naqueles sete dias entre o protesto e o primeiro ataque, a CBN Manaus recebeu milhares de denúncias contra a médica.

Não vamos recontar a história aqui. O site O Caso Bianca Abinader disponibilizou todos os documentos, inclusive aqueles sonegados do contribuinte pela Prefeitura de Manaus, como o relatório da primeira sindicância aberta contra a médica (clique aqui), engavetado durante mais de um ano na Secretaria Municipal de Saúde.

Enganando o ouvinte e a chefe

Em dias alternados, a rádio passou a visitar casinhas de saúde a esmo, ouvindo as queixas dos pacientes sobre demora no atendimento, maus tratos, falta de fichas, postos de saúde abandonados, falta de remédios etc., meros pretextos para insistir nos ataques pessoais a Bianca.

Mas era preciso materializar a mentira. Simplesmente atribuir à médica a falta de remédios nos postos da Prefeitura ou a culpa pelo decreto do governador Omar Aziz, que deu ao funcionalismo público três dias úteis de folga recentemente, era raso demais, mesmo para o padrão CBN Manaus. Ronaldo precisava de outro nome, outro médico. Então Andréa Vieira, a funcionária pública, foi atrás do médico Raimundo Dantas dos Santos.

Segundo Ronaldo, vários pacientes haviam denunciado o médico à rádio. Milhares de ouvintes, a caminho do trabalho, passaram uma semana acompanhando os passos de Raimundo e Andréa, médico faltoso e servidora faltosa da Prefeitura, nas ondas de uma concessão pública de rádio, com a assinatura da maior rede de jornalismo do rádio brasileiro.

Você já viu essa história, e sabe que é mentira. A “série de reportagens” sobre maus médicos chegou a ser defendida pela diretora nacional de jornalismo da CBN, Mariza Tavares, em visita a Manaus para palestrar sobre jornalismo e ética. Questionada sobre o comportamento de sua afiliada local, Mariza defendeu a tal “série de reportagens”. O que nem Mariza Tavares nem os ouvintes da CBN Manaus sabiam, porém, era que Ronaldo não tinha limite. Acredite você, o segundo médico procurado pela rádio para legitimar a perseguição a Bianca era Raimundo Dantas dos Santos, desafeto da família Tiradentes há pelo menos 18 anos.

Isso mesmo. Nem para a diretora nacional de jornalismo Ronaldo Tiradentes se deu ao trabalho de disfarçar a mentira. Enganar ouvintes e leitores não é novidade para a CBN Manaus, conhecida como a rádio que troca notícia e alvo da hashtag #NojoCBN, que levou a marca de Mariza, Sardenberg, Piotto, Cony, Gehringer e tantos outros à vergonha nacional dos assuntos mais comentados na internet. O site O Caso Bianca Abinader mostra agora como Mariza Tavares foi enganada e fez o papelão de defender, publicamente, uma fraude chamada CBN Manaus.

Raimundo Dantas, médico do trabalho e funcionário da Prefeitura no programa Saúde da Família, foi acusado pela rádio de não atender os pacientes, chegar tarde ao trabalho e atender em seu consultório particular, enquanto devia estar numa unidade pública. A rádio procurou o médico alegando ter recebido denúncias de pacientes.

Mentira. Para enganar seus ouvintes, Ronaldo Tiradentes mandou a repórter Andréa Vieira seguir os passos de um médico que tem diversos processos na Justiça contra a família Tiradentes. Desde julho de 1993, o médico Raimundo Dantas dos Santos cobra uma dívida de Ruy Tiradentes, irmão de Ronaldo. Em outubro de 2010, Onilza Abreu Gerth, juíza titular da 8ª Vara Cível e Acidentes do Trabalho de Manaus, ordenou a penhora do apartamento de Ruy Tiradentes e de mil cotas da sociedade na Rádio Tiradentes Ltda. O processo 0007263-12.1993.8.04.0012 (clique aqui), no qual Ruy é defendido pela advogada Kiê Mariee Cavalcante Hara, esposa de Ronaldo Tiradentes, é apenas uma das ações judiciais em que Dantas e os Tiradentes figuram como partes opostas.

Recentemente, Ronaldo Tiradentes conseguiu judicialmente que sua rádio ficasse de fora da condenação de Ruy. O advogado em todas as ações contra Raimundo Dantas dos Santos, o mau médico “descoberto” pela CBN Manaus, é o próprio Ronaldo Tiradentes. Confira nas imagens abaixo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Todos os processos que mostram o médico contra Ronaldo, a mulher, o irmão e as empresas da família Tiradentes podem ser vistos no site do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), basta clicar aqui.

Não batizamos O Caso Bianca Abinader de “A maior fraude do jornalismo amazonense” à toa. O que desconhecíamos era a capacidade da marca CBN de ser envolvida na fraude de Ronaldo. Mariza Tavares, jornalista respeitada nacionalmente, não é boba. Por dever da profissão, também não é desinformada. Sabe, por exemplo, que Ronaldo e sua família mantêm contratos e vínculos empregatícios com a Prefeitura de Manaus. Sua postura há dois anos, no entanto, é a de lavar as mãos, como se a Rede Globo não possuísse um rígido código de ética e postura para funcionários e afiliados.

Amazonino Mendes, Francisco Deodato e outros dois secretários municipais passam hoje pelo constrangimento público de terem sido obrigados pela Justiça a reintegrar Bianca, diante dos indícios de que sua suspensão foi ilegal. Com o envolvimento de Mariza Tavares — por conivência ou omissão — com as fraudes jornalísticas criadas pela CBN Manaus, fica claro que a CBN nacional participa ativamente do “assassinato” moral praticado contra a médica há quase dois anos.

Não conhecemos o médico Raimundo Dantas. Há hoje, no serviço público, diversos médicos, advogados, assessores, peritos, motoristas, contadores, redatores e repórteres, como a própria Andréa Vieira, recebendo dinheiro público sem serem encontrados em seus locais de trabalho. O mau comportamento ocorre em todo lugar, e na Prefeitura, começa dos postos de comando, ocupados por gestores que se deixam usar por amigos para fins alheios aos interesses do contribuinte.

A missão do site é provar que as acusações contra Bianca são a maior fraude do jornalismo amazonense, cometida a céu aberto e à luz do dia há dois anos. No caso do médico Raimundo Dantas, desafeto de Ronaldo e vendido ao ouvinte como personagem de matéria jornalística de apelo social, é caso de polícia e alerta para o Ministério das Comunicações. O site O Caso Bianca Abinader, como em todos os outros episódios da história, está aqui novamente mostrando as mentiras de Ronaldo Tiradentes, as mentiras da Prefeitura de Manaus, e agora as mentiras de Mariza Tavares e da CBN nacional.

No último final de semana, o jornalista Luis Nassif publicou uma série de matérias (clique aqui) sobre o caso da médica Bianca Abinader. Para apresentar ao país uma história como essas, contextualizou historicamente os personagens, exibindo a milhares de leitores o que ocorre no Amazonas com Bianca há quase dois anos, mas com muitos outros amazonenses há mais de trinta.

Não participamos da coleta de dados nem da produção da série “A Primavera de Manaus“, mas deixamos aqui nosso “muito obrigado” a Luis Nassif pela coragem e pela falta de juízo de cumprir o mais elementar dos papéis do jornalista, o de simplesmente contar a história.

Anúncios
Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Portal do Holanda aceita ser a segunda voz da CBN

O Dia Seguinte à vergonha pública não poderia ser diferente para o radialista Ronaldo Tiradentes. Depois de ver começar a ruir a história da “punição exemplar” de Bianca, o único acusador da médica ficou sem saída. Sua única opção era apelar a veículos mais lidos, como o Portal do Holanda, do blogueiro Raimundo Holanda. Ainda ontem, depois da constrangedora decisão de Cezar Bandiera, Ronaldo fez o que podia. Voltou a ofender a médica, imputando-lhe acusações que nunca provou. Ignorado pelos leitores de seu blog e incapaz de publicar comentários favoráveis à médica, mandou seu texto para o blogueiro Holanda.

Não foi a primeira vez. Em 22 de setembro, a suspensão de Bianca, decretada pelo prefeito Amazonino Mendes, virou manchete do Portal do Holanda, que a chamou de “gazeteira”, fazendo coro com a CBN. Sobre a decisão judicial de ontem, suspendendo a punição por indícios de que o processo administrativo foi realizado de forma ilegal (sem provas e com mudanças estranhas de foco), nem Ronaldo nem Holanda arriscaram falar.

Raimundo Holanda é conhecido pela agilidade com que publica as matérias que recebe e com que transcreve publicações oficiais em forma de notícia. É também defensor da imparcialidade e do bom jornalismo. O site O Caso Bianca Abinader então pergunta: O que faltou para Raimundo Holanda publicar a reviravolta na sua manchete principal do dia 23 de setembro?

A versão do criminoso

Apesar de parecer justo, não pedimos que a imprensa tome o lado da vítima, Bianca Abinader.

Mas ajudar o criminoso a reescrever a história é um pouco demais. Se a lógica do Portal do Holanda é esta, sugerimos àqueles PMs amazonenses filmados atirando num adolescente (imagem que correu o Brasil meses atrás), escrevam-lhe uma carta, culpando o menino por não ter morrido e o acusando de ser o poderoso da história. Derrotado, Ronaldo Tiradentes, amigo do prefeito, do governador, de juízes e procuradores alega que o lado forte da corda é o da vítima, Bianca.

Não é papel da imprensa transformar mentira em verdade. O papel da imprensa é noticiar e, num caso desses, dar espaços iguais aos dois lados da história. Se negar a noticiar uma decisão judicial já depõe muito contra Raimundo Holanda. Dar visibilidade a acusações derrubadas na Justiça é impensável.

Ontem, na internet, um leitor do Portal do Holanda perguntava:

— Ainda não avisaram ao Holanda que a suspensão foi suspensa? Ou como as empresas de ônibus ele também precisa de 72 horas para “reprogramar as catracas”?

Recados ao juiz e ao prefeito

Em sua decisão liminar, Bandiera, da 1ª Vara Pública Municipal, encontrou indícios de que o processo administrativo que suspendeu Bianca foi ilegal. Não havia provas do “crime” e a presunção de sua inocência foi ignorada. A punição foi suspensa, o juiz intimou o prefeito Amazonino Mendes e sua cúpula a cumprirem a decisão e Bianca já pode voltar ao trabalho, depois de mais de um mês afastada e sem remuneração.

Na mesma decisão, o juiz ainda precisou ensinar a Ronaldo noções básicas de direito. O radialista tentava figurar, numa causa entre a uma médica e o prefeito, como entidade interessada numa polêmica sobre temas constitucionais.

A derrota e a vergonha são de Ronaldo, mas quem paga o pato é Amazonino e o juiz Bandiera.

No texto republicado por Holanda, Ronaldo acusa a comissão de sindicância da Prefeitura de fazer “vista grossa” sobre malfeitos de servidores. No espaço dos leitores, onde Ronaldo especializou-se em comentar os próprios textos, anônimos começam a insinuar que Cezar Bandiera é desonesto. Um dos leitores fazia referência a uma mansão do magistrado,
localizada no condomínio de luxo Ephigênio Salles, na zona centro-sul de Manaus.

Para o autor do comentário aprovado por Ronaldo, morar no Ephigênio Salles é sinal de safadeza. Depois de dar o recado, Ronaldo apagou do seu site o comentário ofensivo a Cézar Bandiera.

O próprio Ronaldo Tiradentes mora no condomínio Ephigênio Salles.

Publicado em Uncategorized | 3 Comentários

Justiça suspende punição a Bianca por indícios de ilegalidade

Uma das premissas deste site, desde sua criação, é a busca pela objetividade e pela sobriedade. Por estes princípios, nunca nos propusemos o jogo de ataques e juízos de valor. Frente à situação, essa missão foi quase impossível em determinados momentos. Mas temos conseguido cumprí-la, pois entendemos que, diante dos absurdos do Caso Bianca Abinader, adjetivar é empobrecer uma história que, sozinha, dispensa notas de repúdio ou xingamentos.

Conhecemos, como grande parte do Amazonas, a fama do radialista Ronaldo Tiradentes. Não a inventamos, não a aumentamos. Depois do início dos ataques à médica Bianca Abinader, em janeiro de 2010, bastou aos mais atentos observar, pois o acusador se trairia e ficaria exposto às próprias mentiras. Não foi diferente. A cada ataque, a cada texto, gravação, vídeo ou xingamento à médica, na rádio CBN ou no site oficial da emissora, nos limitávamos a desmontar a nova mentira.

Foram muitas mentiras. Mentiras tão primárias que precisavam ser muitas, diárias, incansáveis, doentias. E desmontamos todas elas, uma a uma.

Hoje não é diferente. Vamos provar mais uma vez, desta vez dando nomes aos bois, quem é o mentiroso do Caso Bianca Abinader. Para isso, o fato de ontem.

Em decisão liminar, o juiz Cézar Bandiera, da 2ª Vara da Fazenda Pública Municipal, ordenou que a médica seja reconduzida ao seu posto de trabalho imediatamente. Em seu despacho, Bandiera escreveu:

Os documentos acostados à inicial dão indícios de que o processo administrativo que culminou com a suspensão da Autora não atentou para a integralidade das normas que devem norteá-lo, ferindo assim a legalidade. Ao que parece, o processo se iniciou para apurar as reiteradas faltas da Autora ao serviço, e terminou por puni-la em razão da prática de conduta proibida pelo Estatuto dos Servidores Públicos Municipais.

Simplificando, a Justiça entendeu que Amazonino Mendes, como esteve claro desde o dia 22 de setembro, quando suspendeu Bianca, puniu a médica com base em denúncias sem provas e num relatório que, mesmo admitindo tal falta de provas, pedia a punição. A decisão de ontem não é constrangedora apenas para o prefeito, agora suspeito de perseguir moralmente uma servidora a pedido de um amigo, mesmo sem provas. Estão citados também, na ação, o Secretário-Chefe da Casa Civil, o Secretário Municipal de Saúde e o Secretário Municipal de Administração. Nada menos que o prefeito e três de seus principais secretários estão sendo obrigados, judicialmente, a suspender a punição à médica.

Como se a vergonha fosse pouca, a decisão de Bandiera também serve como palmatória aos alunos gazeteiros das péssimas faculdades de Manaus. Ronaldo, que admite no ar não ter sido um dos alunos mais assíduos no curso de direito da faculdade Nilton Lins, tentou fazer parte da ação, entre Bianca e a Prefeitura, como amicus curiae (“Amigo da Corte”).

Isso mesmo. Depois de ser desmoralizado em todas as acusações falsas que desferiu contra a médica, o radialista conseguiu que seus amigos, Amazonino e Deodato (Francisco Deodato, secretário municipal de Saúde), suspendessem – ilegalmente, como agora diz o despacho da Justiça – Bianca Abinader e lhe cortassem o salário de médica concursada. Não satisfeito, ao saber que a médica recorria à Justiça para que sua punição fosse reconsiderada, o denunciante procurou o TJAM e se declarou parte interessada na causa. Em 14 de outubro, pedindo urgência à Justiça, Ronaldo Tiradentes disse, em petição:

“O ora peticionário (ele, Ronaldo) informa que poderá fornecer muitas informações valiosas que poderão corroborar com (sic) o deslinde do presente caso, na condição de AMICUS CURIAE, figura adotada com muita frequencia no Supremo Tribunal Federal”

Amicus curiae, em latim, significa “amigo da Corte”. Segundo o glossário do Supremo Tribunal Federal, onde segundo Ronaldo a figura é “adotada com muita frequencia”:

“Amicus Curiae — Intervenção assistencial em processos de controle de constitucionalidade por parte de entidades que tenham representatividade adequada para se manifestar nos autos sobre questão de direito pertinente à controvérsia constitucional. Não são partes dos processos; atuam apenas como interessados na causa.”

O radialista gazetou a maior parte das aulas do primeiro período da faculdade. É ali que qualquer estudante de direito, bastando frequentar o banco de escola, aprende que a intervenção é cabível nas mais altas causas jurídicas, mormente questões constitucionais, onde entidades adequadas anunciem ter interesse na controvérsia. Em outras palavras, Ronaldo Tiradentes tentou transformar sua sanha doentia e mentirosa em questão constitucional. Ronaldo alegou que o amicus curiae é “figura adotada com muita frequencia no Supremo Tribunal Federal”, mas poderia ter dito que “A Julia Roberts utilizou isso naquele famoso filme americano”. O primarismo teria sido o mesmo.

Uma das expressões mais típicas do Twitter é a #vergonhaalheia, hashtag utilizada pelos usuários para descrever situações em que presenciam alguém passando vexame público. A palmatória do juiz Cézar Bandiera é didática:

“A figura do amicus curiae, prevista na Lei nº 9.868/99, foi criada para permitir que outros órgãos ou entidades, que não as Autoras, se manifestem em processos de ação direta de inconstitucionalidade e de ação declaratória de constitucionalidade. Ora, no caso, o requerente (Ronaldo) não é órgão, nem entidade, tampouco se está diante de uma ADIn ou ADECon. Já a intervenção como “terceiro interessado” deve se dar por meio da assistência (art. 46 e seguintes, do CPC) ou de uma das formas de intervenção de terceiros previstas no Título II, Capítulo VI, do Código de Processo Civil.”

A vergonha precisava de uma desculpa esfarrapada. Às 20h21 de ontem, abatido pela própria incompetência e cego pelo ódio doentio, Ronaldo botou a culpa na Prefeitura, que não conseguiu enxergar o que ele (e somente ele, em dois anos de perseguição) conseguiu: que Bianca é péssima profissional, tem diversas faltas ao trabalho, brinca de computador na frente dos pacientes e acusa o prefeito de ser criminoso.

Bianca reassume suas funções na Prefeitura imediatamente. A decisão judicial é liminar, não significa julgamento de mérito. Mas não vamos aqui dar aula de direito a advogado incompetente. A sugestão do site O Caso Bianca Abinader é que o radialista esqueça as coisas que apenas ele enxerga, e opte por coisas que só ele não enxerga. O artigo 46 e o capítulo VI do Código de Processo Civil, ensinados pelo juiz em sua reprimenda pública, são um bom começo. Qualquer estudante de direito sabe.

Ao prefeito Amazonino Mendes e ao seu secretário Franscisco Deodato, que confessou a diversos interlocutores não suportar mais Ronaldo Tiradentes, a decisão mostra como podem ser desnecessárias certas amizades. E como elas podem ser prejudiciais aos gestores que se curvam aos caprichos de amigos doentes.

Terminamos esse comentário citando novamente o juiz Cézar Bandiera:

“… tenho por bem, até mesmo para resguardar a utilidade do presente processo, DEFIRIR A LIMINAR pleiteada para suspender a pena imposta à servidora, Bianca Abinader Gavinho, até julgamento final da presente ação, permitindo que a mesma retorne, imediatamente, às funções do cargo de médica especialista em saúde, na unidade onde antes as desenvolvia. Intimem-se. Cumpra-se.”

A Justiça pode ser efêmera, mas é reconfortante.

Publicado em Uncategorized | 1 Comentário

Um dia antes de suspender Bianca, Amazonino nomeou irmão de Ronaldo Tiradentes para seu gabinete

No último dia 14 de setembro, um dia antes da assinatura do relatório que pediu a suspensão da médica Bianca Abinader por 90 dias, o prefeito Amazonino Mendes assinou a nomeação de Marcos Paz Tiradentes, irmão do acusador de Bianca, Ronaldo Tiradentes, como assessor no seu próprio gabinete.

Marcos, que já respondia como gerente de limpeza pública na Semulsp (mesma secretaria onde Andrea Vieira, a caçadora de médicos faltosos, responde como presidente de uma comissão, ao mesmo tempo em que trabalha na CBN), virou assessor técnico, ocupando um cargo DAS-3, com salário de R$ 6 mil.

Os decretos, de exoneração da Semulsp e nomeação na antesala de Amazonino, foram publicados no mesmo dia 14. Você pode consultar diretamente no site da Prefeitura, ou ver as imagens abaixo:

Véspera da suspensão de Bianca: o irmão de Ronaldo deixa a gerência da Semulsp

...e vira assessor do gabinete do prefeito Amazonino Mendes

Marcos Tiradentes virou funcionário da Prefeitura em 16 de fevereiro de 2009, logo que Amazonino Mendes assumiu o poder. Era um simples assessor, com cargo DAS-1. Em dezembro do mesmo ano, foi exonerado, já como gerente. O ato foi publicado em 15 de janeiro de 2010.

Apesar de continuar se apresentando, em redes sociais na internet, como “gerente de limpeza pública”, o irmão de Ronaldo não aparecia nos registros oficiais da Prefeitura.

Resumo da história

Para suspender a médica Bianca, Amazonino se baseou no depoimento de Ronaldo Tiradentes, irmão de um assessor seu, nomeado por ele próprio um dia antes. Apesar dos demais depoimentos terem isentado Bianca, além da perícia técnica não ter encontrado evidências de sua infração, a Comissão de Processo Disciplinar deu “especial relevância” a um único depoimento, o de Ronaldo. A história inteira está aqui.

Aqui, a nomeação de Marcos Paz Tiradentes em 16 de janeiro de 2009, início da administração de Amazonino Mendes. Aqui, sua exoneração, em 30 de dezembro.

Publicado em Uncategorized | 3 Comentários

Seiscentos dias depois, CREMAM se posiciona sobre ‘Caso Bianca’

Do site IdBentes.com.br, do jornalista Mário Bentes:

O Conselho Regional de Medicina do Amazonas (CREMAM-AM) publicou, no último dia 27 de setembro (terça-feira), documento de desagravo público contra a rádio CBN Manaus por conta das primeiras perseguições contra a médica e funcionária pública Bianca Abinader Gavinho, ocorridas nos dias 4, 5, 6 e 7 de janeiro de 2010 – época em que a médica ainda estava grávida. O documento consta no Diário Oficial do Estado e também foi publicado, mediante pagamento, em alguns jornais da cidade.

O desagravo atesta que a profissional foi “difamada, bem como teve sua reputação profissional abalada em reportagem veiculada no dia 5 de janeiro de 2010 na rádio CBN Manaus”. O mesmo documento revela que a entidade aprovou pela publicação do desagravo no dia 9 de junho deste ano, após sessão plenária. Somente um mês depois, o mesmo documento foi despachado e, após mais dois meses, publicado.

No total, do dia da primeira perseguição feita pela CBN e por seu mandatário, Ronaldo Tiradentes, à médica Bianca Abinader, até a data da publicação do documento de desagravo, passaram-se 631 dias. De lá pra cá, já são incontáveis as ocasiões em que Ronaldo Tiradentes usou os microfones da rádio para voltar a atacar a médica com rótulos de “gazeteira” e até de “vagabunda”. E contando com apoio irrestrito da Prefeitura de Manaus para a elaboração de sindicâncias que, mesmo sem nada apontar contra Bianca, acabam servindo de combustível para a proliferação de mais mentiras.

Apesar de absurdo o intervalo de tempo entre os fatos e as reações, há uma explicação: o CREMAM se viu obrigado a fazer uma investigação cautelosa para averiguar as “denúncias” trazidas pelos gritos histéricos de Ronaldo Tiradentes e das reportagens que não apuravam coisa alguma. O mais importante, porém, é que a entidade chegou à conclusão que todos os documentos empunhados pela médica já afirmavam: que ela sofria uma série de ataques furiosos de calúnia, contrários a todos os fatos.

Só nos resta perguntar: quanto tempo levarão as próximas reações dos órgãos que representam os médicos neste Estado (e os cidadãos em geral) em relação às outras infindáveis acusações caluniosas de Ronaldo Tiradentes? Até quando a CBN, a troco da manutenção do status quo econômico fruto de uma relação de simbiose com a Prefeitura de Manaus, vai insistir em proliferar mentiras sem que os órgãos representantes dos direitos humanos façam alguma coisa?

São perguntas que espero ver respondidas pelo menos antes que a filha de Bianca, que não chegou a ver os primeiros ataques contra a mãe, atinja a maioridade.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Repórter da CBN que segue médicos preside comissão da Prefeitura

Andrea Vieira, no estúdio da CBN Manaus: "Em campo com a equipe"

A construção do relatório 026/2011, assinado pela Comissão Permanente de Regime Disciplinar da Prefeitura de Manaus e publicado no último dia 22 de setembro, foi anunciada doze dias antes, dia 10, pelo radialista Ronaldo Tiradentes, exatamente quem denunciou a médica Bianca Abinader.

O relatório pediu a suspensão de Bianca, com o corte do seu salário, por 90 dias. O motivo? Bianca teria feito ataques ao prefeito Amazonino Mendes na internet. Os detalhes do relatório podem ser conferidos na íntegra aqui, no site O Caso Bianca Abinader.

Por hora, é preciso antes apontar a mentira de Ronaldo e contar uma história interessante sobre a repórter que segue médicos pela cidade.

Ao anunciar, com dias de antecedência no Twitter, e com doze horas de antecedência em sua rádio, que Bianca seria punida por não atender seus pacientes e usar o computador em horário de serviço, Ronaldo Tiradentes reincidiu numa falsidade que pratica há 20 meses. Disse que a médica fora punida por não trabalhar. Às 20h23 da última quinta, 22, escreveu:

“Bianca nunca cumpriu integralmente os contratos que mantém com o estado e prefeitura. (…)  Ou cumpre integralmente sua carga horária ou vai para o olho da rua.”

Na manhã de sexta-feira, 23, sua mentira foi repercutida por outro blogueiro, o jornalista Raimundo Holanda, que na manchete de abertura de seu “portal” escreveu:

Médica twiteira suspensa

O prefeito Amazonino Mendes resolveu punir médica da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) que fazia plantão no Twitter. Com base no relatório conclusivo do processo administrativo nº 026/2011 – CPRD/Semad, Bianca de Oliveira Abinader fica em casa por 90 dias. A médica se diz perseguida pelo radialista Ronaldo Tiradentes, que literalmente pegou no seu pé nos últimos meses. Ronaldo está numa campanha contra médicos que faltam ao trabalho. E, no caso, o Twiiter foi o mal menor. Ficou comprovado que Abnader não comparecia ao serviço…

Em comum ao radialista e ao blogueiro, duas coisas: primeiro, a imensa repercussão da rádio, que usa a marca CBN do Sistema Globo de Rádio, e do Portal do Holanda, um dos blogs mais acessados da cidade. Segundo seus responsáveis, a rádio e o blog são os mais ouvidos e lidos de Manaus. Depois, a dificuldade que ambos tiveram para publicar, como de resto toda a imprensa local, os documentos oficiais que provam a fraude jornalística.

Bianca sofreu três sindicâncias, todas nascidas das denúncias exclusivas de Ronaldo Tiradentes, sobre suposta falta de atendimento de pacientes e faltas ao trabalho. E em todas foi inocentada. Pacientes e colegas foram ouvidos, documentos analisados, livros de ponto periciados. Ao final dos três procedimentos, restavam apenas os elogios de seus pacientes.

Mas o prefeito Amazonino Mendes, amigo pessoal e de quem Ronaldo foi secretário de comunicação, não se convenceu sobre quem era o mentiroso, sua funcionária, concursada, ou seu amigo, que a denunciou três vezes e foi desmascarado em todas. Mesmo depois das sindicâncias provarem a falsidade das acusações, Amazonino preferiu acreditar na nova denúncia de Ronaldo. Bianca não era mais faltosa nem “gazeteira”, era caluniadora. Na rádio, o radialista seguia chamando a médica de “gazeteira”, insistindo em negar o que três sindicâncias provavam: que o mentiroso era ele. Na Semsa, porém, a acusava de ofender autoridades. Em depoimento à Comissão, chegou a ser advertido por tentar acusá-la de faltas, denúncia que já fora investigada e arquivada a favor de Bianca.

Ronaldo publicou em seu blog comentários injuriosos contra Amazonino Mendes, atribuindo-os a Bianca. Imprimiu o conteúdo de seu próprio blog e levou à Prefeitura. Depois de 140 dias (o processo tinha prazo original de 90), a Prefeitura suspendeu Bianca pelos comentários publicados no blog de Ronaldo, atribuídos a ela.

O atraso na apuração foi justificado pela necessidade de uma perícia técnica das provas. Finalizada tal perícia, seu responsável, o Secretário Executivo Adjunto de Inteligência, concluiu:

“não foi possível comprovar se as mensagens eletrônicas supostamente postadas no perfil denominado “bia abnader” no microblog Twitter são autênticas”. (pág.11)

É bom repetir. Bianca Abinader enfrentava um processo administrativo que podia lhe render demissão, cujas únicas provas eram as tais “mensagens eletrônicas”, saídas do computador e da impressora pessoais de Ronaldo Tiradentes. Se nas três sindicâncias anteriores seu futuro profissional dependia de testemunhas, depoimentos e documentos, dessa vez a solução parecia mais simples. Comprovado, por perícia, que Bianca era a autora das mensagens, sua punição poderia ter justificativa. Mas quando um perito atesta que não comprovou a autoria da infração, onde está a infração?

A comissão pensou diferente.

“Diante da dificuldade probatória do suposto delito, a Comissão conferiu ao depoimento do denunciante, especial relevância.”, explica o relatório. (pág.14)

Ou seja, Juvenal acusou Francisco de ter assassinado sua esposa e de tê-la jogado no rio. A polícia fez buscas pelo corpo, e não achou nada. E concluiu: Francisco era mesmo um assassino, porque a palavra de Juvenal tem “especial relevância”!

Diz ainda o relatório:

“(A Comissão) realizou um cuidadoso trabalho na apuração da suposta irregularidade, antes de qualquer pré-julgamento, ouvindo a servidora indiciada e várias testemunhas, no sentido de saber se realmente as declarações postadas na internet foram feitas pela indiciada” (pág.14)

Sim, a Comissão ouviu Bianca, Ronaldo e oito testemunhas. E NENHUMA delas disse ter conhecimento das “mensagens eletrônicas”. Vamos repetir: NENHUMA das testemunhas, ouvidas pela Comissão tinha conhecimento das mensagens atribuídas à médica. Só Ronaldo Tiradentes, o autor da denúncia, usando como prova seu próprio blog. Nem o depoimento da procuradora Jussara Pordeus, convidada pela Comissão para testemunhar, ganhou a grife “especial relevância”. A Comissão, o relatório deixa claro, só atribuiu tal importância à denúncia do “Juvenal”, Ronaldo Tiradentes.

Eurinete Santana, chefe de Bianca na unidade de saúde Amazonas Palhano, uma das testemunhas do processo, fala sobre uma denúncia de pacientes desconhecidos contra Bianca. Diz que não comprovou as acusações, que tem boa relação com a médica e diz que “a indiciada atende normalmente os pacientes que comparecem na unidade.” (pág.7). Já em março deste ano, Eurinete avaliara o desempenho de Bianca, dizendo, em na Avaliação Periódica de Desempenho (PDA) assinada no dia 17:

“A servidora atende as expectativas nos aspectos funcionais e suas atuações. É assídua, pontual, compromissada com suas atividades.Precisa dinamizar suas atividades educativas. Propõe-se a otimizar as atividades acima citadas e manter seu padrão de atendimento.”

Ronaldo Tiradentes, que no dia 15 de março, dois dias antes de Eurinete assinar o texto acima, abordou a própria chefe de Bianca na unidade, hoje mente novamente, ao dizer que Bianca controla a própria frequência, insinuando que a médica falta ao trabalho, mas assina seu registro de presença. O texto acima não foi escrito por Bianca. Foi escrito e assinado por Eurinete, sua chefe.

Citando o Código de Processo Civil, a Comissão também diz que o juiz de uma causa não precisa se apegar apenas a laudos periciais, podendo “formar sua convicção com outros elementos ou fatos provados nos autos” (pág.15).

Com todo o respeito devido à Comissão Permanente de Regime Disciplinar da Prefeitura de Manaus, onde estão os “outros elementos ou fatos provados”? Além das provas periciadas e de origem não comprovada, além dos depoimentos das testemunhas, que “outros elementos ou fatos provados” existiam?

A Prefeitura continua:

“É bem verdade que a perícia não foi capaz de resolver a questão relativa à autenticidade das mensagens eletrônicas (…), entretando, inúmeras dúvidas foram dissipadas ao longo da instrução processual, sobremaneira com a produção de provas documentais e testemunhais.” (pág.16).

Perguntamos novamente: que provas contra Bianca Abinader foram produzidas, se a perícia não atestou a autenticidade das mensagens?

O movimento “Manaus de Olho”

Sem as provas periciais que atestariam a infração de Bianca, o relatório então mira na participação da médica, enquanto cidadã, no movimento “Manaus de Olho”, iniciativa nascida na internet que publicou o voto dos vereadores de Manaus sobre a Taxa do Lixo, da Prefeitura de Manaus. Bianca, além da fisioterapeuta Carolina Coelho e do administrador Ismael Benigno, eram os organizadores da cota que pretendia pagar a veiculação do protesto.

Na manhã deste domingo, em novo e longo post publicado no site oficial da rádio CBN, Ronaldo Tiradentes chamou Bianca de “cínica”, “dissimulada” e “sonça” (sic). O motivo das novas injúrias era o envolvimento da médica no grupo Manaus de Olho. O processo administrativo e seu relatório mostram que a denúncia não era por faltas, atrasos nem internet. Era por causa do protesto do grupo contra vereadores da base aliada de Amazonino, realizado exatamente uma semana antes do primeiro ataque da rádio à médica.

A prova está no relatório da Prefeitura, na página 14:

“As cópias das folhas de frequências, juntadas aos autos pelo setor de recursos humanos, demonstram que a indiciada obteve cinco faltas no período de 31/01/2011 a 04/02/2011. E de acordo com o depoimento de testemunhas que prestaram depoimento, a servidora se ausentou do serviço para resolver a questão de seu remanejamento, sendo que as faltas foram descontadas de sua remuneração.”

É bom repetir, este é trecho do relatório 026/2011. Mas há outro documento oficial, timbrado pela Prefeitura e assinado por Zuldimarina Soares de Castro, Diretora de Atenção Básica da Semsa, confirmando que as únicas faltas de Bianca, em cinco anos de trabalho, foram causadas pela CBN.

Antes de iniciar a perseguição à médica, Ronaldo Tiradentes já pedira, em carta enviada à empresa empregadora de Carolina, a demissão da funcionária, por causa das críticas que Carolina fazia à postura da CBN local. Pelos mesmos motivos, Ismael passou a responder diversos processos judiciais, todos movidos por Ronaldo. Comentando em blogs de terceiros e no site da CBN na internet, Ronaldo ofendeu Carolina, Ismael e Bianca, durante meses.

A Comissão Permanente de Regime Disciplinar da Prefeitura de Manaus conclui seu relatório dizendo que, apesar da ausência de prova pericial, entende que Bianca é culpada, e atesta:

“Entende a Comissão que a indiciada deve responder por culpa do evento, considerando que a mesma no mínimo contribuiu para a divulgação das mensagens ofensivas, já que a divulgação do conteúdo das notícias ali veiculadas se deu a partir do seu computador”. (pág.17)

Como a Comissão chegou a essa conclusão? Na falta da prova material, foi com base nos depoimentos das testemunhas, unânimes em dizer que nunca viram tais mensagens? Bianca Abinader deletou sua conta no Twitter meses antes da instauração do Processo Disciplinar, amedrontada por causa da violência que passou a sofrer por ter, como qualquer cidadão comum — inclusive Ronaldo, que usa o perfil falso @caionunes65 — uma conta no microblog Twitter.

Por pressão de familiares, desesperados ao tomar conhecimento das suspeitas de que Ronaldo já agrediu pessoas antes, inclusive funcionários públicos em seu ambiente de trabalho, Bianca deletou sua conta, onde, como qualquer cidadão comum, publicava fotos das filhas, nomes dos amigos, dados da família. Ronaldo a acusa de ter deletado a conta para apagar rastros de supostos crimes, que viriam a ser investigados somente meses depois. A Comissão, que afinal deu “especial relevância” ao depoimento do “Juvenal”, diz a mesma coisa em seu relatório.

Bianca foi suspensa por 90 dias porque deletou uma conta no Twitter, e se Ronaldo disse que era pra fugir de um processo que só seria aberto meses depois, a Comissão entendeu da mesma forma. Não adiantou que Bianca tivesse apagado seu perfil para proteger suas filhas. Ontem, domingo, Ronaldo expôs o nome sua filha, um bebê de um ano de idade e cuja gestação se complicou em janeiro de 2010 devido aos ataques à sua mãe, no site oficial da CBN, enlameado pelas acusações de Ronaldo, já provadas falsas.

O poder de “Juvenal” sobre o trabalho da “polícia”

Bianca foi punida sob intensa pressão pessoal de Ronaldo, que fez repetidas visitas à Semsa e participou da confecção do relatório. Não é uma acusação contra a Comissão, é uma confissão do próprio Ronaldo. Suas digitais estão lá, no Twitter, onde ele disse, antes e depois da publicação do relatório, documento oficial e interno da Prefeitura de Manaus:

10 de setembro, 12 dias antes da publicação da punição:

ALEA JACTA EST. MAKTUBE: RUA

13 de setembro, 9 antes da publicação da punição:

ESTOU BONZINHO. VOU DAR UMAS FERIAS DE 90 DIAS. SE ME ENCHEREM O SACO, ETERNIZO AS FERIAS. VOU FICAR DE OLHO.

16 de setembro, 6 dias antes da publicação da punição:

ESTÁ CHEGANDO A HORA DAS SUPER FÉRIAS. É O COMEÇO. SE CHIAR, A PORRADA VAI CANTAR. TÁ OUVINDO, VAGABUNDA?

17 de setembro, 5 dias antes da publicação da punição:

SEMANA DE MÁS NOTICIAS PARA A VAGABUNDA.

20 de setembro, 2 dias antes da publicação da punição:

SÓ FALTA A CANETADA… LONGAS……LONGUISSIMAS FERIAS, DIDATICAS. PARA ENSINAR A RESPEITAR HORÁRIO E AS PESSOAS. É SO O COMEÇO…

22 de setembro, 4 horas antes da publicação da punição:

ESSA FDP MEXEU COM CARA ERRADO. ESPERO QUE ELA E A CANALHADA PARE DE ENCHER O SACO. DAQUI PRA FRENTE, CAIO NUNES VAI ENDURECER MESMO.

22 de setembro, 48 minutos depois da publicação da punição:

MEDICA GAZETEIRA BIANCA ABINADER, CONHECIDA COMO MAGA PATALOGIKA E NOIVA CADÁVER, PEGA 90 DIAS DE SUSPENSÃO.

No último dia 6 de maio, após chegar à lista dos 10 assuntos mais comentados do Brasil com a hashtag #NojoCBN, quando foi desmascarado, Ronaldo Tiradentes deletou dezenas de posts de sua conta, @caionunes65, que citavam o nome de Bianca Abinader e detalhes internos das sindicâncias que a médica respondia. Sob os holofotes do país, a coragem do perfil falso havia sumido. O episódio lhe rendeu uma carta do Conselho de Ética da rádio CBN nacional, o proibindo de citar o nome de Bianca.

Mas a poeira baixou. A CBN local percebeu que a farsa da “série de reportagens” foi descoberta, e passou a seguir os passos de outros médicos de Manaus. Encontrou um que atendia em consultório particular, enquanto devia estar numa UBS da Prefeitura. Denunciou outra, que estava em licença de saúde havia duas semanas, mas assim mesmo foi acusada de “desleixo” com os pacientes. A intenção era criar, para a CBN nacional, um clima de série de reportagens. Mariza Tavares, a diretora de jornalismo da rede, viria a Manaus em meados de setembro, palestrar sobre redes sociais e jornalismo.

Andrea Vieira

Para comandar as reportagens investigativas contra outros médicos, Ronaldo Tiradentes destacou a jornalista Andréa Vieira, que passou a seguir, por manhãs inteiras, alguns médicos da rede pública.

Andréa Vieira, além de passear por unidades de saúde da Prefeitura com o microfone da CBN à mão, durante as manhãs, é, ela própria, funcionária da Prefeitura, como Bianca. Isso mesmo. Desde 2009, primeiro ano da administração de Amazonino Mendes, Andréa ocupa cargos comissionados na adminitração municipal.

A diferença entre as duas é simples, porém. Enquanto Bianca prestou concurso, há mais de cinco anos, e provou que não falta nem deixa de atender pacientes, Andréa ocupa um cargo comissionado na Secretaria Municipal de Limpeza Pública, a Semulsp, mas não frequenta a repartição. Não é qualquer cargo, Andréa é nada menos que a presidente de uma comissão do órgão, e deveria trabalhar, com folha de frequência e horário integral, na CEDOLP, a Comissão Especial de Divulgação e Orientação Política de Limpeza Pública, cuja página, no site da Prefeitura de Manaus, está em branco desde sua criação, em 11 de novembro de 2010, conforme imagem do Diário Oficial, abaixo:

“O salário pago a presidente da CEDOLP, Andrea Cristiane Ferreira Vieira, será de R$ 3,7 mil por mês”, noticiava o jornal A Crítica no dia 18 de novembro.

Então o site O Caso Bianca Abinader passou a procurar Andrea em seu local de trabalho. Afinal, precisava verificar se o dinheiro público, usado para pagar seu salário, estava sendo bem usado. Também pretendíamos dar a Andrea algo que ninguém da CBN deu a Bianca, a chance de se defender. A recepcionista da comissão, Joelma, que atende no telefone 3214-8105, informou, na segunda das quatro ligações que fizemos à Cedolp em dias alternados do mês de agosto, que Andréa cumpre expediente integral de oito horas na comissão. Nas quatro ligações, fomos informados que a presidente da Cedolp estava “em campo com a equipe”, mas que deveria chegar logo. Orientados a ligar novamente no período da tarde, ligamos.

E Andréa continuava “em campo”. No dia seguinte, precisamente às 9h da manhã, discamos 3214-8105 novamente, mas Andréa Vieira, que naquele momento falava na rádio CBN, continuava em campo. Em nova ligação, às 15h do mesmo dia, uma luz. Andréa estava sim, presente no ambiente de trabalho, a Semulsp. A recepcionista pediu que aguardássemos, pois ia chamar a presidente. Nova frustração. Poucos segundos depois, fomos orientados a ligar mais tarde, pois Andréa estava numa ligação telefônica.

Não ligamos mais tarde, deixamos para a manhã seguinte, quando novamente a repórter da CBN estava “em campo com a equipe”, em local incerto e não conhecido. Perguntamos de Joelma em que campo ela estava, mas ela não soube informar. Perguntamos se era ali que Andréa trabalhava mesmo, se era aquela comissão que Andréa presidia, e Joelma confirmou.

Então perguntamos como Andréa podia dar expediente como presidente de uma importante comissão da Semulsp, se durante aquele mês de agosto estava dedicada a acompanhar, durante toda a manhã, os passos do médico Raimundo Dantas numa casinha de saúde da Prefeitura. A atendente ficou confusa e, novamente, não soube esclarecer nossa dúvida. A última ligação ocorreu na última quinta, 22. Andrea estava “em campo” novamente. “Mas já está chegando!”, nos informou Joelma.

Não imputamos qualquer crime à jornalista Andrea Vieira. Desejamos apenas saber por que uma das repórteres da CBN que seguiu Bianca, colega sua na Prefeitura, nunca está presente em seu local de trabalho. Afinal de contas, quem está mentindo? Joelma, ao dizer que Andrea trabalha o dia todo na CEDOLP, ou Andrea, que investiga como o doutor Raimundo Dantas pode estar em dois lugares ao mesmo tempo, nos mesmos horários em que Joelma jura que ela própria está “em campo com a equipe”?

Afinal de contas, a equipe de “campo” de Andrea é da CBN ou é da CEDOLP?

O site O Caso Bianca Abinader foi criado pela ausência de meios pelos quais a médica pudesse se defender das acusações da rádio CBN. É mantido por um jornalista e prima pelo respeito às leis. Todos os documentos exibidos aqui são públicos e oficiais. Se não são divulgados, pelas autoridades e pelos veículos de imprensa locais, cabe a cada um justificar seu silêncio. Para um órgão público, mantido pelo contribuinte como a Prefeitura de Manaus, é lei divulgar documentos oficiais. A primeira sindicância instaurada contra Bianca, ainda sobre a falsa história das faltas e atrasos, passou mais de um ano engavetada na Semsa. Coincidentemente, era plenamente favorável à médica, diferentemente do processo disciplinar 026/2011, que a suspendeu, divulgado dia a dia, minuto a minuto, ironicamente no Twitter, pelo “Juvenal” amigo da “polícia”, Ronaldo Tiradentes.

O relatório 026/2011, divulgado na íntegra aqui, é público. Nada mais justo, numa realidade em que o denunciante antecipa o resultado de um processo interno da Prefeitura e um blogueiro divulga a mentira do denunciante no site mais visitado da cidade, que a vítima de todo o processo mostre ao público os documentos que lhe tiraram o trabalho, o salário e uma carreira até aqui irrepreensível.

Dizer isso não é fazer defesa gratuita da médica. Quando falamos em “carreira irrepreensível”, citamos relatórios da própria Prefeitura de Manaus. Segundo ela, Bianca era aprovada por 99% dos seus pacientes do Campo Dourado, na Zona Norte, comunidade que Bianca atendia até sofrer a primeira agressão, em janeiro de 2010. O mesmo ocorreu com os moradores do Morro da Liberdade, que em fevereiro deste ano ficaram sem médico, depois que Bianca foi novamente agredida. O Morro da Liberdade pediu o retorno de Bianca ao secretário Francisco Deodato, mas não foi atendido.

Bianca Abinader começou a cumprir sua sentença nesta sexta-feira, e só poderá exercer sua profissão de médica, concursada há mais de cinco anos, em 2012. Até lá, também ficará sem salário.

O bairro do São José, como o Campo Dourado e o Morro da Liberdade, estão há um ano e nove meses sem sua médica, chamada Bianca Abinader, “pontual”, “assídua” e “compromissada”.

Não são palavras deste site nem de Bianca. São palavras de sua chefe e de seus pacientes.

Publicado em Uncategorized | 26 Comentários

CBN Manaus troca as ruas pelos fóruns de Justiça

Como você se sentiria, no ambiente de trabalho, na sua sala, consultório ou gabinete, ao receber a visita indesejada de alguém que deseja interferir justamente no seu trabalho?

Uma secretária municipal já experimentou a sensação, quando foi agredida, moral e fisicamente, dentro de sua sala, pelo radialista Ronaldo Tiradentes. A médica Bianca Abinader vem experimentando isso há quase 1 ano e meio. A fisioterapeuta Carolina Coelho já passou por isso também.

Ronaldo não distingue classe, credo, cor nem religião. Na última semana, ao tomar conhecimento de que a juíza Patrícia Chacon, da 1ª Vara da Fazenda Pública Municipal, julgaria o mandado impetrado por Bianca Abinader, pedindo a reconsideração de seus motivos para entrar em licença não remunerada, Ronaldo Tiradentes foi pessoalmente visitar a magistrada, cerca de 1 hora antes do despacho da decisão. A visita ocorreu na última quinta (28), às 11h da manhã, e foi testemunhada por várias pessoas.

No final da manhã de ontem (5), outra incursão da CBN Manaus no coração do Judiciário amazonense. De conhecimento que o juiz Cézar Bandiera, da 2ª Vara da Fazenda Pública Municipal, tinha recebido o mandado e que deveria julgá-lo após a declaração de incompetência de Patrícia, Ronaldo esteve também no gabinete de Bandiera, ontem, também às 11h da manhã.

Foi uma visita demorada, relatam testemunhas. Ao deixar o gabinete do magistrado, ainda no estacionamento do Fórum Ministro Enoch Reis, no Aleixo, Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | 18 Comentários